28 de ago de 2008

Lei contra lixo sonoro




Uma situação vem se tornando muito comum, razão pela qual resolvi escrever este texto. Ontem, voltando de ônibus do trabalho, um rapaz sentou-se a minha frente ouvindo, através de fones de ouvido, as músicas de seu celular num volume absurdamente alto. Acredito que, por causa do volume exagerado, ele foi incapaz de perceber que, pelo menos, nove pessoas no seu entorno também conseguiam escutar o mesmo. Primeiro um pagode; depois um hip hop; outro pagode, seguido de parte da discografia de 1995 do Michael Jackson. Eclético, o moço. Acontece que, em nenhum momento, o tal rapaz dirigiu-se a quaisquer pessoas que estavam ao seu redor, questionando seus gostos musicais e, mais ainda, se estavam dispostas a ouvir música naquele momento.
Menciono isso porque eu era uma dessas pessoas e fui subitamente interrompida por um pagode desgraçado. Eu estava lendo (como sempre!) um livro bacana... A última coisa que eu queria, naquele momento, era ouvir o som vindo dos fones de outra pessoa.

Nas viagens de ônibus, costumo abusar dos estímulos audiovisuais: vou escutando uma musiquinha, lendo meus livros, prestando atenção a cada detalhe do engarrafamento das 7h30min da Protásio Alves. Como atualmente o mp4 está no Canadá, tirando férias com meu irmão, fui agraciada com a oportunidade de observar o quanto é incômodo pessoas absolutamente desprovidas de noção ouvirem suas músicas num volume absurdo, sem importarem-se com a própria condição de surdez ou o limite de paciência dos outros. Além de perceber isso, agora vou poder avaliar o quanto eu também posso incomodar dentro do ônibus. Poxa! Que falta de respeito! Vão ouvir som alto trancados em seus quartos! Engatem os fones nos seus pc’s e divirtam-se bem longe de mim!!!

Já que lançaram projeto de lei proibindo a mídia externa em outdoor, bem que algum vereador poderia lançar proposta de multa para esses lixos sonoros, com a merecida execução da lei pelo(a) próximo(a) prefeito(a)...

De repente, um estrondo no chão do coletivo cessa o som: o babaca dormiu e deixou cair o celular. Buemba! Espatifou-se o Michael Jackson!

É muito difícil respeitar a liberdade de outrem? Seja o simples detalhe da altura do radinho, seja com a (falta de) educação da população. Respeito, liberdade, limite, bom-senso. Eu não precisaria escrever sobre isso se houvesse nesse tipo de gente o mínimo de bom-senso.



"Todas as grandes coisas são simples. E muitas podem ser expressas em poucas palavras: liberdade; justiça; honra; dever; piedade; esperança".


Winston Churchill