16 de jul de 2013

16 de julho

Hoje não é um dia triste para mim, pelo contrário. Hoje é o dia de celebrar o nascimento da melhor mulher do mundo. Uma adorável canceriana que, de tão boa que ela era, o Papai do Céu quis que ela ficasse lá pertinho dele, passados já mais de 25 anos. Ainda lamento demais este fato (a falta que sinto está bem longe de ter se tornado uma saudade gostosa para mim) e não se passa um só dia em que não acontece algo que eu gostaria de ter contado a ela. Contudo, aqui sigo meus passos com a certeza de que ela me acompanhará para sempre.
Mãezinha, meu carinho por ti resultou na mais importante das tatuagens do meu corpo: aquela que está em meu coração. Estou contigo e não abro. Feliz aniversário! Te amo para sempre.

A música abaixo, composta em 1987, te traz à minha memória com uma força estrondante. Depois que pesquisei a fundo, eu descobri o porquê.